Athletico-PR sai na frente do Santos na Copa do Brasil


O Athletico-PR derrotou o Santos por 1 a 0, na noite desta quarta-feira (25) na Arena da Baixada, em Curitiba, na partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Renato Kayser marcou o único gol de uma partida que teve amplo domínio da equipe da casa. O Furacão manteve o controle do jogo na maior parte do tempo, mas não pressionou tanto um adversário apático, que criou poucas oportunidades.

Com o resultado, o Athletico-PR joga pelo empate na partida de volta, na Vila Belmiro, no próximo dia 14 de setembro. Para avançar, o Peixe precisará vencer por dois gols de diferença. Uma vitória santista por um gol de diferença levará os times para a disputa de pênaltis.

A partida

Logo aos 16 minutos, o atacante Nikão cruzou, o volante Richard escorou de cabeça para trás e encontrou Renato Kayser cara a cara com o gol. O artilheiro do Furacão tocou, também de cabeça, para marcar. Aos 35 minutos, o Furacão quase ampliou. Nikão recebeu de Kayser e, de fora da área, bateu colocado, no canto direito de João Paulo. A bola passou perto da trave e saiu.

Aos 40 minutos, em um erro grave de saída de bola, Jean Mota entregou a bola nos pés de Nikão. E o camisa 11 do time paranaense tentou novamente o canto direito de João Paulo, mas a bola saiu, dessa vez com menos perigo. No minuto seguinte, o goleiro do Santos fez boa defesa no chute de Christian e mandou para escanteio.

O Athletico-PR começou a etapa final no mesmo ritmo, dominando as ações e sendo mais perigoso. Do outro lado, o Santos perdeu o zagueiro Luiz Felipe, com uma lesão no joelho direito. Em seu lugar, entrou Robson.

Aos 12 minutos, o Santos tentou uma pressão. Chegou na área do adversário e tentou o arremate para o gol duas vezes. A bola bateu no peito do zagueiro na primeira tentativa. Os santistas pediram pênalti, alegando que a bola bateu na mão do defensor, mas o árbitro Marcelo de Lima Henrique estava bem colocado e mandou o jogo seguir.

Aos 21 minutos, os santistas pediram pênalti mais uma vez. A bola quicou no chão e bateu no braço de Renato Kayser dentro da área do Furacão. O juiz não marcou falta e o VAR (árbitro de vídeo) não o chamou para rever o lance. Os jogadores do Santos cercaram Marcelo de Lima Henrique, mas ele alegou que o quique da bola antes caracteriza o toque acidental no braço de Kayser. A reclamação dos santistas sobre esse lance foi tamanha que continuou após o apito final.

Aos 38, em um contra-ataque rápido, Pedro Rocha, que entrou no segundo tempo, dominou na área e tocou para Mingotti, que também havia saído do banco. Desmarcado e já dentro da pequena área, ele dominou e bateu no ângulo do goleiro, mas a arbitragem marcou impedimento do camisa 38 do Furacão.

A irregularidade foi marcada em campo, embora a imagem não mostre com clareza que o atacante estava em posição irregular. O VAR não divulgou a imagem usada para confirmar a decisão de campo, como costuma ocorrer. Assim, o triunfo do Athletico-PR de 1 a 0 perdurou até o fim.

O próximo compromisso dos dois times é pelo Campeonato Brasileiro. O Santos enfrenta o Flamengo na Vila Belmiro, no próximo sábado, às 18h (horário de Brasília). Já o Furacão pega o Palmeiras fora de casa, também no sábado, mas às 21h.





EBC

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram